Qualidade de alimentos embalados a vácuo em pauta

Categoria: Geral | Publicado: quarta-feira, março 30, 2016 as 08:00 | Voltar

Campo Grande (MS) – No início da tarde desta terça-feira (29), o diretor-presidente da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural), Enelvo Felini, recebeu o diretor da agroindústria Sabores Naturais de Morraria, Hilário Cabreira, para conhecer um pouco mais sobre o andamento dos trabalhos e a qualidade dos produtos orgânicos (mandioca crua e pré-cozida, e abóbora crua) embalados a vácuo pelas famílias agrícolas.

A reunião foi realizada no gabinete da Agraer, Parque dos Poderes. Também estiveram presentes o coordenador da Agraer de Bodoquena, Airton Garcez, e os vereadores Nelson de Paula e Edmilton de Assis.

morraria1

Em Bodoquena, a produção orgânica de mandioca e abobrinha está sendo feita por 36 famílias agrícolas, residentes no Distrito de Morraria do Sul. Grande parte dos alimentos da agroindústrias estão sendo comercializados em hotéis, pousadas e restaurantes de prestígio de Bonito, uma das principais cidades turísticas de Mato Grosso do Sul.

“O produto tem tido boa aceitação no mercado. A Agraer tem nos dados bom atendimento de Ater, mas tínhamos esse intuito de apresentar pessoalmente alguns de nossos produtos a diretoria”, diz Hilário Cabreira, presidente da Associação dos Pequenos Agricultores da Região do Distrito de Morraria do Sul.

De acordo com Hilário, o chamariz do produto está na qualidade, por se tratar de um alimento 100% natural. “O diferencial de nossos produtos está no cultivo sem o uso de fertilizantes químicos e agrotóxicos, e na higienização, com o processo de embalagem a vácuo”, afirma.

morraria2

O cultivo orgânico, em Bodoquena, faz parte do projeto Tempo de Empreender, financiado pelo Instituto Camargo Correa e o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), em parceria com a Agraer e o Instituto Meio, do Estado de São Paulo.

O engenheiro agrônomo e técnico da Agraer de Bodoquena, Airton Garcez, explica que além do sistema de produção sustentável, a produção de mandioca e abobrinha na comunidade local leva em conta também os estudos do solo e clima que a Agência realizou na região. “O projeto é a junção de boas práticas de cultivo e manipulação de alimentos com os serviços de pesquisa e assistência técnica da Agraer”, explica Garcez.

Morraria do Sul

A Associação de Pequenos Produtores de Morraria do Sul, fundada em 1998, nasceu com a finalidade de fortalecer a agricultura local através da articulação comercial e da transmissão de conhecimento aos produtores e suas famílias com cursos e formações.

Hoje, ela opera uma nova unidade agroindustrial para processamento vegetal, respondendo a uma demanda regional crescente por produtos, práticos e saudáveis.

Aline Lira – Assessoria de Comunicação Agraer

Publicado por: Iza Olmos Rodrigues de Lima

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.