Iagro alerta para fim do prazo de registro da vacinação contra aftosa onde houve prorrogação em MS

Vacinação terminou na quinta (15) e registros podem ser realizados até dia 30 de junho. Apenas Porto Murtinho e Bela Vista ainda podem vacinar até dia 30

Campo Grande (MS) – Chegou ao fim nesta quinta-feira, 15 de junho, o prazo pra compra da vacina e vacinação contra febre aftosa, nos municípios de Amambai, Tacuru, Naviraí, Caarapó, Eldorado, Iguatemi, Itaquirai, Juti, Bela Vista e Porto Murtinho (região do Planalto), e os municípios de Ponta Porã, Mundo Novo e Japorã (Zona de Fronteira). O registro da vacinação desses animais pode ser realizado até o dia 30 de junho.

 Em especial para as propriedades dos municípios de Bela Vista e Porto Murtinho, localizadas na região sanitária da zona de fronteira, a data para compra e vacinação vai até o dia 30 de junho e o registro deve ser realizado até o dia 15 de julho.

A extensão do prazo nesses dois municípios se deu por conta das chuvas excessivas e também por que o Governo do Estado, através da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) realiza ali, ao mesmo tempo, a identificação individual dos animais, em cumprimento a um acordo feito com a OIE que resultou na liberação da carne da fronteira para exportação.

Os pecuaristas da região do Pantanal, com suas peculiaridades e dificuldades de acesso tem prazo conforme calendário oficial até 15 de junho para vacinação, podendo realizar ainda numa segunda etapa, aberta em novembro.

Segundo relatório da Agência, até o último dia 12, dos 21.009.228 animais envolvidos já havia sido comunicada a vacinação de 16.842.480 animais no sistema e-Saniagro e adquiridos nas empresas que comercializam a vacina 3.913.539 doses.

Para o diretor Presidente da Iagro, Luciano Chiochetta, até o final da campanha os números devem superar os dos anos anteriores, que ultrapassaram os 99% de alcance.

Obrigatória, a vacinação contra a febre aftosa em Mato Grosso do Sul tem mantido índices superiores a 99% nos últimos anos fruto de estratégias bem sucedidas da Agência e a parceria com os produtores. Desde os episódios da doença em 2005, serviço de defesa e produtores trabalham conjuntamente contabilizando importantes conquistas como o fim da zona de alta vigilância na fronteira e o retorno das exportações de carne produzida naquela região para o mercado internacional.

Kelly Ventorim, assessora de comunicação da Iagro/Semagro